A confiança e a autoestima estão intimamente relacionadas com o aspecto dos cabelos, eles tem grande influência na aparência tanto de homens quanto de mulheres e, devido a isso, quando começam a cair causam muito desconforto. Em alguns casos o tratamento para fazer com que os fios cresçam não é suficiente e os procedimentos cirúrgicos se tornam necessários.

Quando a partir de uma avaliação médica decide-se optar por processos cirúrgicos é necessário decidir entre dois métodos: implante ou transplante capilar. Os dois procedimentos são simples, porém, possuem algumas diferenças básicas. Além disso, muitos critérios influenciam nessa escolha, tais como: condições de saúde, idade e presença ou ausência de área doadora ideal, portanto a decisão cabe ao profissional responsável por realizar o procedimento.

Implante capilar

Neste procedimento são implantados fios artificiais no couro cabeludo buscando corrigir a calvície ou danos causados por cicatrizes. O pós-cirúrgico desta técnica é um pouco mais complicado devido à rejeição do organismo pelos fios artificiais. Para diminuir a probabilidade de rejeição criaram-se fios semissintéticos muito semelhantes aos cabelos. Este método ainda está em estudo no Brasil, devido a isso ele é menos comum e apresenta valores inviáveis.

Transplante capilar

Dr. Eduardo Favarin, cirurgião plástico da IMCAP da unidade Criciúma explica que o transplante capilar consiste em retirar os fios do próprio paciente com o objetivo de restaurar áreas que tenham sofrido com a queda de cabelo, devido a isso, o paciente precisa ter uma área doadora favorável, ou seja, sem falhas e que possua unidades foliculares saudáveis. Na maioria das vezes utiliza-se uma parte do couro cabeludo que não sofre com a calvície, geralmente da região posterior da cabeça. O transplante capilar tem sido utilizado há muitos anos e apresenta resultados satisfatórios.

A maior vantagem do transplante é que como os fios são do próprio paciente a possibilidade de rejeição é muito pequena, ele também proporciona resultado natural e recuperação tranquila.

“Existem dois tipos mais comuns de transplante capilar, são eles: FUE e FUT. A técnica FUT obtêm os folículos capilares através da retirada de uma faixa de tecido do couro cabeludo, esta retirada causa uma cicatriz linear, porém este incômodo estético pode ser disfarçado com um corte de cabelo um pouco mais longo, outro ponto a ser considerado é que a cicatrização pode levar mais tempo.  Já a técnica FUE retira as unidades foliculares uma a uma utilizando um equipamento chamado punch, como não são feitos cortes não existe cicatriz e a recuperação é mais rápida.” explica Dr. Leandro Mauro, da unidade IMCAP Curitiba.

Onde realizar o transplante capilar?

A IMCAP possui três unidades bem localizada no Brasil onde são realizados tratamentos e transplante capilar nas técnicas FUE e FUT. Agende sua consulta:

Belo Horizonte: (31) 4101-5372 /  (31) 99446-2446
Criciúma: (48) 3437 6117 /  (48) 98401-2958
Curitiba: (041) 3079-2282 /  (41) 99903-2282