O ser humano possui aproximadamente 100.000 fios de cabelo, é natural que cerca de 100 fios caiam por dia, a queda é estimulada pela escova, vento, travesseiro ou durante o banho. A queda do cabelo é considerada um processo de regeneração e saúde, pois cada fio tem fases geneticamente programadas que incluem: fase anágena (crescimento), fase catágena (repouso) e fase telógena (queda), quando o cabelo cai a raiz permanece.

Já a alopecia androgenética é a perda de cabelo geneticamente determinada. Também é conhecida como calvície de padrão masculino, pois atinge principalmente os homens, já que uma das principais causas é a testosterona (hormônio masculino) que quando sofre a ação de uma enzima chamada de alpha 5-redutase transforma-se em DHT que é um potente hormônio e que ao entrar em contato com os folículos capilares leva a calvície. No entanto, nem todo cabelo é sensível ao DHT, a perda de cabelo só ocorre quando a pessoa tem predisposição genética a esta sensibilidade, portanto se os fios forem insensíveis ao DHT nada acontece. Além disso, fatores como diabetes, estresse e alguns remédios podem causar calvície, mas nestes casos a perda normalmente é temporária.

Tratamento definitivo para a perda de cabelos

Segundo pesquisas cerca de 60 a 70% dos homens irá apresentar algum grau de calvície ao decorrer de sua vida. Para tratar este grande incômodo pode-se optar por medicamentos, shampoos e loções (tratamento clínico), porém esta opção nem sempre tem o efeito esperado.

Outra opção é o transplante capilar, ele é um tratamento cirúrgico para homens e mulheres e tem apresentado resultados satisfatórios e duradouros. A técnica consiste numa redistribuição dos fios, os que são insensíveis ao DHT, ou seja, não sofrem com a calvície, são transferidos para as áreas que sofreram com a perda dos cabelos.

Existem duas técnicas principais de transplante capilar, são elas FUT e FUE. A FUT realiza cortes na área doadora para retirar os folículos, este corte deixa uma cicatriz linear. Já a técnica FUE não deixa cicatriz, pois os fios são retirados individualmente, a retirada é feita utilizando um equipamento chamado de punch, ele realiza micro incisões que por serem muito pequenas facilitam a cicatrização. Em ambas as técnicas, os folículos obtidos são lapidados em microscópio 3D.

Depois da retirada dos folículos e de uma minuciosa preparação, eles são implantados no couro cabeludo, de acordo com design decidido anteriormente. Após a cirurgia, o paciente pode voltar para casa imediatamente. Os cabelos podem ser lavados no dia seguinte e em aproximadamente 12 semanas os fios começarão a crescer

As duas técnicas tem suas limitações e suas qualidades. A escolha deve levar em conta a gravidade da calvície e o aspecto da área doadora além de ser feita juntamente com o cirurgião.